Cursos sobre Danças Circulares

Em preparação para a ação de Formação em Danças Circulares previsto no primeiro semestre de 2015 serão realizados em Vitória da Conquista três cursos temáticos independentes.

10656644_10152764325168530_880107662_n22

Benefícios:

  • Trabalham atenção, coordenação, concentração e a memória.
  • Trazem autodisciplina, centramento e autoconfiança.
  • Trazem musicalidade e ritmo para a vida diária.
  • Incentivam o indivíduo a expressar o que ele tem de melhor dentro de si e a sua criatividade.
  • Promovem a cooperação e a harmonia entre os participantes.
  • Equilibram o corpo, os pensamentos e as emoções.
  • Desenvolvem a autoestima, ajudando a transformar medos, angústias, ansiedades, stress e depressão.
  • Resgatam a vitalidade e a alegria de viver.

Confira a programação:

27 de SETEMBRO:
Sábado, das 14 às 18h e Domingo, das 8 às 12h.

“Símbolos em movimento”

Descobrindo símbolos sagrados nas Danças Circulares – neste curso veremos como a arte e, em especial a dança, relaciona-se com arquétipos e símbolos das diferentes mitologias. Como alguns temas e formas geométricas aparecem espalhados por todo o mundo e se repetem em diversas culturas? Qual a influência dessas formas nos passos e nos gestos apresentados nas danças dos povos? Quais temas se repetem nas danças de diferentes tradições?

Workshop-Danças-Circulares-maio-20121“Com a criação do universo, também assumiu vida a dança, o que supõe a união dos elementos. A dança circular das estrelas, a constelação dos planetas em relação com as estrelas fixas, a harmonia e a ordem prodigiosas em todos os seus movimentos é espelho da dança original no momento da criação. A dança é o melhor presente das musas ao homem. Devido à sua origem divina, ocupa um lugar nos mistérios e torna-se querida pelos deuses, em cuja honra a executam os homens” (Luciano, poeta romano do século II).

Venha conhecer danças que apresentam a geometria em suas coreografias – retas, curvas, lemniscatas, quadrados, tranças, espirais…

Público-alvo: homens ou mulheres, de diferentes idades, a partir dos 18 anos. Não há necessidade de experiência prévia com qualquer estilo de dança.

18 de OUTUBRO
Sábado, das 14 às 18h e Domingo, das 8 às 12h.

“Feminino, Masculino e Círculo”

O centro de um círculo é um ponto. O ponto simboliza a unidade, a perfeição, sendo por isso também, em quase todas as culturas e épocas, um símbolo do Uno.  O ponto contém tudo, mas só em potência e não em estado manifesto. Dele nasce o círculo; aquilo que no ponto ainda é potência ganha através do círculo uma manifestação.

As Danças Circulares dos Povos transmitidas por pessoas de diferentes países e tradições nos colocam em contato com o ponto e o círculo, com símbolos de diferentes culturas, músicas, gestos, forças polares e complementares…

As danças em círculo reproduzem o modelo arquetípico da nossa vida: o girar contínuo ao redor do nosso centro. Assim, é possível utilizar a dança como meio para conhecer a si mesmo, em seu aspecto mais profundo e conhecer o outro.

Esse curso é um convite para percorrermos as trilhas que levam ao nosso interior, entrando em contato com as polaridades do mundo. As qualidades do feminino e do masculino dentro e fora de nós podem ser reconhecidas como complementares, envoltas pela força do círculo que simplesmente contém. Dançando essas qualidades, podemos reconhecer a beleza e a força do ponto e do círculo.

Público-alvo: homens ou mulheres, de diferentes idades, a partir dos 18 anos. Não há necessidade de experiência prévia com qualquer estilo de dança.

la-danse11

29 de NOVEMBRO:
Sábado, das 14 às 18h e Domingo, das 8 às 12h.

“Dançando o Caminho da vida”

Desde tempos remotos, o ser humano utiliza o seu corpo para dar sentido à vida, cantando e dançando. Antes de expressar sua experiência de vida mediante os meios materiais, o homem o fez com o seu corpo. A dança era o modo natural do ser humano se harmonizar com a natureza, dando sentido à sua existência. O ser humano ‘primitivo’ dançava em qualquer ocasião: por alegria, por dor, por amor, por medo; ao amanhecer, na morte, no nascimento; em celebrações sazonais, colheitas, uniões e ritos de passagem. A dança unia os homens, o povo, a nação.

Com o passar do tempo e as mudanças no estilo de vida da sociedade, essas expressões culturais se perderam e apenas algumas culturas mantiveram o hábito de dar as mãos em uma roda e dançar em comunidade.

Fases como o nascimento, iniciar a escolaridade, entrar na adolescência, atingir a maioridade formal, o amadurecimento, a superação de desafios, os medos e a coragem, gestar descendentes ou projetos, lidar com a aproximação da morte – são experiências que compartilhamos com outros seres humanos. Muitas culturas criaram danças para importantes fases da vida. Conhecê-las e vivenciá-las aprofundam o sentido da nossa trajetória de vida.

Público-alvo: homens ou mulheres, de diferentes idades, a partir dos 18 anos. Não há necessidade de experiência prévia com qualquer estilo de dança.

SERVIÇO:
Cursos: Danças Circulares
Local: Viver Espaço Terapêutico – Rua México, 156, Recreio.
Data: 27/09, 18/10 e 29/11
Focalizadora: Ana Flávia Basso, psicóloga com especialização em Desenvolvimento Humano pela Universidade de Brasília, formação em Euritmia, educadora Waldorf e focalizadora de Danças Circulares desde 2001.
Maiores informações/ Valores/ Inscrições:
8159-6709 (Claro)/ 9182-3741 (Tim) / anafbasso@gmail.com

Atenção: A realização dos cursos está sujeita à formação de turmas com, no mínimo, 10 pessoas. Assim, confirmaremos aos inscritos, por e-mail, com antecedência.

Marcelo Lopes
Sobre Marcelo Lopes 262 Artigos
Historiador, produtor cultural, escritor, artista gráfico e técnico-analista em projetos culturais.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*