Watchmen: revolução na linguagem dos Quadrinhos

Por Marcelo Lopes
A obra Watchmen é uma das principais responsáveis pela linha narrativa adulta que elevaram as Histórias em Quadrinhos a um patamar diferenciado a partir da década de 1980 e hoje inspira megaproduções que lotam as salas de cinema. Sombrio, complexo e repleto de enredos intrincados, o novo perfil destas histórias – como a trilogia do Batman, do diretor Christopher Nolan – alinha uma abordagem inovadora sobre heróis e vilões das HQ’s. Watchmen é a referência mais profunda deste novo modelo: uma série de histórias em quadrinhos escrita por Alan Moore e ilustrada por Dave Gibbons, publicada originalmente em doze edições mensais pela editora norteamericana DC Comics, entre 1986 e 1987.
Considerada um marco importante na evolução dos quadrinhos, introduziu abordagens e linguagens antes ligadas apenas aos quadrinhos ditos alternativos, além de lidar com temática de orientação mais madura e menos superficial, quando comparada às histórias em quadrinhos comerciais publicadas naquele país. O sucesso de crítica e de público que a série teve ajudou a popularizar o formato conhecido como Graphic Novel(ou “romance visual”), até então pouco explorado pelo mesmo mercado.
Diz-se que Watchmen foi, no contexto dos quadrinhos da década de 1980, um dos responsáveis por despertar o interesse do público adulto para um formato até então considerado infanto-juvenil. Watchmen também é a única história em quadrinhos presente na lista dos 100 melhores romances eleitos pela revista Time desde 1923.
Sua adaptação para o cinema foi lançada em março de 2009 e conseguiu agradar em cheio os fãs da história, um feito extraordinário após mais de vinte anos de expectativa de ver na telona o ambiente crepuscular e denso dos personagens de Alan Moore.
Agora, o co-criador e ilustrador de Watchmen, Dave Gibbons, oferece uma nova versão da Graphic Novel em vídeo, desta vez acrescentando ação, vozes e sons ao visual já revolucionário conhecido pelos fãs da série. Neste novo trabalho, todos os capítulos que compõem a história abordam detalhadamente partes importantes do enredo: da misteriosa morte do personagem Comediante até o melancólico destino dos super-heróis e seu importante papel no mundo. Detalhes que não fizeram parte do longa-metragem, mas que aqui encontram espaço para um diálogo mais próximo com o público, evidenciando seu relevante papel na história dos Quadrinhos ao romper com os padrões de sua época.

 

Fonte:

Marcelo Lopes
Sobre Marcelo Lopes 262 Artigos
Historiador, produtor cultural, escritor, artista gráfico e técnico-analista em projetos culturais.

2 Comentários

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*