Jan Saudek: fotografia e fantasia

Por Marcelo Lopes

A primeira vez que vi alguma coisa de Jan Saudek foi num cartão postal. Entre intrigado e fascinado, fiquei horas cercando a banca olhando uma por uma as fotos daquele universo onírico que misturava pintura, sexo, desenho, humor, luxo e degradação, cotidiano, fantasia e muita criatividade. Comecei a colecionar no meu computador dezenas, centenas de imagens daquele fotógrafo checo, enquanto descobria suas influências no cineasta Georges Méliès. Saudek partia de seu mundo próprio, fotografando conhecidos e familiares em situações fantásticas, para ganhar notoriedade internacional com suas obras em mais de 400 exposições individuais mundo afora. O aspecto marcante em sua obra se deve não apenas à criatividade, mas visualmente ao tingimento manual das fotos em preto e branco.

Sobre o acentuado teor sensual do seu trabalho, o artista assinala: “Para mim, a diferença entre Arte e Pornografia é simples. Você pode olhar a Arte por uma eternidade, enquanto a Pornografia você olha rapidamente e coloca de lado, porque tudo é explícito; não há mistério, a fantasia não tem espaço ali”.

Se apenas palavras mal dão conta deste seu universo, o melhor mesmo é conferir.

Saudek 001
Saudek 003Saudek 024
Saudek 004
Saudek 007Saudek 008
Saudek 002
Saudek 022Saudek 019
Saudek 014
Saudek 016Saudek 021
Saudek 018
Saudek 011
Saudek 006
Marcelo Lopes
Sobre Marcelo Lopes 263 Artigos
Historiador, produtor cultural, escritor, artista gráfico e técnico-analista em projetos culturais.

1 Trackback / Pingback

  1. SUSCETÍVEL FEBRIL

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*