Os Intocáveis: fotos da infância sem peso nem respeito

Por Marcelo Lopes

Se o jargão que afirma e reafirma que “uma imagem fala mais que mil palavras” chama a atenção para o fato de que nossa percepção visual é potencialmente mais impactante como fonte de comunicação, saber construir narrativas inteligentes que reforcem esse ditado nem sempre é simples. É preciso, sobretudo, ter conhecimento de uma linguagem específica, articular ideia e conteúdo, e compreender o alcance do que se mostra. Estar alinhado com alguma destas diretrizes é fundamental para que a imagem – que pode ser impactante por si mesma – não seja gratuita.

O artista cubano Erik Ravelo, responsável pela recente campanha da Benneton, o The UNHATE Project, onde personalidades importantes da política mundial aparecem se beijando, traz agora para o público sua nova série de trabalhos, intitulado “Os Intocáveis”. São painéis que tratam da relação de instituições e seus representantes em sua relação com criança mundo afora. Mais do que uma sequência de produções fotográficas, o trabalho chama a atenção pelo peso da temática, mais do que atual e, infelizmente, nada recente.   Confira:

– A primeira imagem refere-se à pedofilia no vaticano;

– A segunda, ao abuso sexual infantil no turismo na Tailândia;

– A terceira refere-se à guerra na Síria;

– A quarta imagem trata do tráfico de órgãos no mercado negro, onde a maioria das vítimas são crianças de países pobres;

– A quinta, refere-se ao armamento livre nos EUA;

– A sexta, sobre a exposição das crianças aos altos níveis de radioatividade pela política nuclear japonesa;

– A sétima refere-se à obesidade infantil e o papel das grandes empresas de fast food.

 

PRIEST3

THAILANDIA3

 

SIRIA3

 

 

 

BRASIL3

 

USA3

 

 

JAPAN3mckdonalds3

Marcelo Lopes
Sobre Marcelo Lopes 263 Artigos
Historiador, produtor cultural, escritor, artista gráfico e técnico-analista em projetos culturais.

1 Trackback / Pingback

  1. C o o l tura

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*