Pesquisa do filme vira artigo no III Congresso do Cangaço

8 de outubro de 2013

Por Marcelo Lopes

20130921_144441Tanta estrada e tantas histórias redundam em muita reflexão. A gente sempre volta para casa com a cabeça cheia de informações, sotaques, palavreados e termos regionais. Em tudo isso, pensar a condição da pesquisa em meio ao papel que lhe cabe também como instrumento de educação é fundamental para considerarmos as várias camadas de conhecimento que nos propomos converter em filme. O artigo agora apresentado no III Congresso Nacional do Cangaço, que acontece de 22 a 25 de outubro, no campus da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, trata de fazer considerações sobre este exato momento da produção do curta “Contra o Veneno Peçonhento do Cão Danado”: analisar de forma acadêmica aspectos da memória e da história que dão conta da oralidade e dos saberes populares em torno da prática do Santo Lenho, num processo de mudança das formas de transmissão de conhecimentos inter-geracional.

Segue abaixo o resumo:

III CONGRESSO NACIONAL DO CANGAÇO
Simpósio:
CULTURA E REPRESENTAÇÕES NO SERTÃO NORDESTINO: MEMÓRIA, IDENTIDADES E RESSIGNIFICAÇÕES

A criação audiovisual sob os temas da memória e da história:
relatos e abordagens de uma produção baiana

CangaçoCerto perfil de tradição oral que reproduz saberes populares por meio de “causos” vem se modificando de maneira estrutural nas últimas décadas. A urbanização das formas de convivência, o avanço tecnológico que encurta fronteiras e se infiltra aceleradamente no cotidiano tem levado práticas da oralidade no meio rural a uma berlinda onde as formas de transmissividade de saberes têm se modificado a ponto de não serem mais reconhecíveis como foram durante séculos. Tomando as histórias de indivíduos que, segundo a crença popular, mantiveram a prática do “corpo fechado” como forma de sobrevivência nas suas relações de poder e guerra, violência e religiosidade, em 2012 o projeto do documentário intitulado “Contra o Veneno Peçonhento do Cão Danado” foi aprovado no edital da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia para sua produção em curta-metragem. Este artigo busca refletir sobre o processo de pesquisa em andamento que redundará na finalização desta obra no início de 2014. Tomando com referência teórica a memória coletiva, de Maurice Halbwachs, a análise e o relato desta pesquisa dá conta de uma série de reconstruções do passado a partir do presente, sob a ótica de determinado grupo, comunidade ou sociedade: são recordações que, sob este aspecto, estão sempre vivas e constantemente modificadas socialmente pela ação do agora e da coletividade, a partir do qual nenhuma memória nunca é tão somente individual. Temas como a natureza mágica nas relações de violência, matadores de aluguel, cangaceiros, grandes políticos e “invultados” indivíduos do cotidiano são parte deste universo.

Palavras-chaves: memória, cinema, cultura popular

Confira o resumo de todos os artigos:

http://www.uesb.br/eventos/cangaco2013/arquivos/Livro%20de%20Resumos%20III%20CNC.pdf

Compartilhe:

Deixe uma resposta

REDES SOCIAIS