Terror para a hora de dormir

Por Marcelo Lopes
O gênero Terror é uma curiosa classificação no cinema: define tipos de filmes que de alguma maneira têm o medo como elemento narrativo na sua construção imagética, que se prende ao nosso imaginário e estimula àquilo que de alguma forma nos faz sentir próximos do perigo, mesmo que irreal.

O que dá medo em uma determinada pessoa nem sempre é o que poderia assustar outra. Muitos sustos ou histórias de terror podem mesmo provocar o riso se não tiverem o cuidado exato na forma de tratar seus temas.
Assim, guardei aqui uma lista interessante de filmes que acredito manterem uma boa dose de suspense embebidas no álcool dos nossos receios escondidos, fantasias e batimentos acelerados. Recomendado para aquelas duas horas noturnas que guardamos antes de ir para a cama .

O Sexto Sentido (The Sixth Sense) – 1999
“O psicólogo infantil Malcolm Crowe (Bruce Willis) abraça com dedicação o caso de Cole Sear (Haley Joel Osment). O garoto, de 8 anos, tem dificuldades de entrosamento no colégio e vive paralisado de medo. Malcolm, por sua vez, busca se recuperar de um trauma sofrido anos antes, quando um de seus pacientes se suicidou na sua frente.”
Nunca comentem o final com alguém que nunca assistiu este filme… alguém pode morrer por isso.
Psicose (Psycho) 1960
“Cansada da vida que leva, a secretária Marion Crane rouba US$ 40 mil que deveria guardar para o chefe e foge para a Califórnia, onde encontrará o namorado. No caminho, hospeda-se num motel, onde é atendida por Norman Bates, o estranho dono do estabelecimento que parece ser dominado pela mãe”.
Clássico filme de AlfredHitchcock, Psicose é uma referência aos filmes de terror ainda hoje, não apenas pela medida certa de suspense, mas por mostrar que o perigo pode estar até mesmo no trato cortês de um atendente de hotel.
O Exorcista (The Exorcist) 1973
“Com a piora gradual dos sintomas de dupla personalidade da filha de doze anos, uma atriz descobre, com a ajuda de um padre, que a garota está possuída pelo demônio”.
Qualquer um que já esteve perto de alguém possesso sabe o medo que isto dá… principalmente se for alguém próximo, como seu chefe.
O Iluminado (The Shinning) 1980
“Um vigia, acompanhado por sua esposa e filho em um hotel pouco procurado na temporada de inverno, passa a ver coisas estranhas e a ser perseguido por forças sobrenaturais”.
Terror cozido em banho-maria, cercado de muito gelo.
Poltergeist – O fenômeno (Poltergeist) 1982
“Tudo começa com a menina conversando com o aparelho de TV e móveis que se movem sozinhos, até que em uma noite, durante uma tempestade, Carol Anne desaparece dentro do armário de seu quarto. Por acaso, em um canal de TV sem sinal, a família pode ouvir sua voz e se comunicar com a garota. Os Freeling procuram uma equipe de parapsicólogos e uma poderosa médium para trazer Carol Anne de volta, mesmo tendo que enfrentar um mundo desconhecido, espíritos furiosos e manifestações demoníacas dentro da própria casa, que esconde um segredo terrível”.
Portas batendo sozinhas e outros fenômenos inexplicáveis estão no repertório assombroso de qualquer conversa de crianças e adolescentes. Coloque tudo isso sob a batuta da produção de StevenSpielberg e a coisa fica quase lá em casa.
O Silêncio dos Inocentes (The silence of the lambs) 1991
“Uma inteligente trainee do FBI é enviada a um hospital para criminosos insanos a fim de contatar o doutor canibal Hannibal Lecter. Sua missão é convencer o louco médico a ajudá-la a resolver o caso de um psicótico assassino em série”.
Quem disse que só porque o sujeito é psicopata e antropófago ele não pode ter estilo?
Nosferatu (Nosferatu, Eine Symphonie des Grauens) – 1922
“Hutter (Gustav von Wangenheim), agente imobiliário, viaja até os Montes Cárpatos para vender um castelo no Mar Báltico cujo proprietário é o excêntrico conde Graf Orlock (Max Schreck), que na verdade é um milenar vampiro que, buscando poder, se muda para Bremen, Alemanha, espalhando o terror na região. Curiosamente quem pode reverter esta situação é Ellen (Greta Schröder), a esposa de Hutter, pois Orlock está atraído por ela”.
Ainda hoje o vampiro mais feio da história do cinema.
O Bebê de Rosemary (Rosemary’s Baby) – 1968
“Rosemary e seu marido mudam-se para um apartamento em Nova York onde encontram uma vizinhança bastante estranha. Quando Rosemary (Mia Farrow) engravida, ela passa a ter alucinações. Uma seita de bruxas deseja que Rosemary de a luz ao filho das Trevas”.
Lição de como é possível induzir o assombro apenas com a sugestão do medo.

O Chamado (The Ring) – 2002

“Rachel Keller (Naomi Watts) é uma jornalista que decide investigar a misteriosa morte de sua sobrinha. Ela percebe a relação da morte dela e de várias outras mortes com um estranho vídeo, que faz com que todas as pessoas que o assistam morram exatamente sete dias depois. Intrigada com a história, ela agora precisa descobrir um meio que impeça que a profecia se realize, já que ela e seu filho assistiram ao vídeo.”
Atividade Paranormal 1,2 e 3 (Paranormal Activity) 2009, 2010, 2011.
“Desde criança Katie (Katie Featherston) ouve ruídos estranhos, sussurros e sente sensações inesperadas. Já adulta, ela mora com seu namorado Micah (Micah Sloat), que meio cético quanto aos depoimentos resolve usar uma câmera para gravar tudo o que acontece enquanto eles dormem e vivem dentro da casa. E o que era para ser apenas uma forma de esclarecer o mistério, torna-se uma experiência intrigante e assustadora”.
“Kristi (Sprague Grayden), irmã de Katie (Katie Featherston), teve recentemente um filho com Daniel (Brian Boland), que já era pai de uma adolescente. Um dia, ao chegarem em casa, a encontram completamente revirada. Tentando evitar que a situação se repita, Daniel compra um sistema de segurança que instala câmeras em diversos cômodos e no lado de fora da casa. Ao mesmo tempo o casal e a adolescente têm por costume filmar tudo o que acontece ao seu redor. Até que um dia situações estranhas começam a acontecer, o que faz com que o trio acredite que a casa é mal assombrada”.
“Dennis (Christopher Nicholas Smith) adora filmar e possuí até uma ilha edição em casa, montada na garagem. Casado com Julie (Lauren Bittner), com quem tem duas lindas filhas Katie (Chloe Csengery) e Kristi (Jessica Tyler Brown), ele resolve propor a ela que seja feita uma filmagem de uma transa dos dois. O que ele não contava é que um terremoto iria atrapalhar o momento de fetiche, mas também revelaria uma estranha imagem em sua gravação. Curioso com o fato, ele mostra para a esposa que não liga e também para um amigo (Dustin Ingram), que fica igualmente intrigado. Os dois acabam instalando mais de uma câmera na casa e o que eles passam a ver marcará para sempre o futuro de todos”.
Seguindo a lógica de “poderia ter sido feito por mim mesmo com aquela câmera vagabunda que eu peguei emprestado ontem”, o que chama a atenção destes tipos de filmes é a textura quase amadora dos “registros” sobrenaturais.
Carrie, a Estranha (Carrie) – 1976
“Carrie White é uma jovem que não faz amigos em virtude de morar em quase total isolamento com sua mãe, uma pregadora religiosa fanática. A garota é menosprezada pelas colegas e Sue Snell, uma das alunas que zombam dela, fica arrependida e pede a seu namorado que convide Carrie para um baile no colégio. Mas Chris Hargenson, uma aluna que foi proibida de ir à festa, prepara uma armadilha para ridicularizar Carrie em público. O que ninguém imagina é que a jovem possui poderes paranormais e muito menos conhece sua capacidade de vingança quando está repleta de ódio.”
Sexta feira 13 (Friday the 13th) – 1980
“Depois de muito tempo fechado, alguns monitores vêm passar uns dias no local que por muitos ficou conhecido como o “Acampamento Sangrento”. Ignorando os avisos, eles preferem se divertir e passar o final de semana cantando e fazendo amor. Mas não esperavam que alguém fosse brincar de “Mate o Monitor”. Assim, um por um eles vão morrendo sem que os outros descubram”.
Este segue a regra do original-é-sempre-o-melhor.
Cemitério Maldito (Pet Sematary) – 1989
“Recentemente os Creeds se mudaram para uma nova casa nos arredores de Chicago. A casa é perfeita, exceto por duas coisas: os reboques, que vivem fazendo barulho na estrada, e o misterioso cemitério no bosque atrás da casa. Os vizinhos dos Creeds estão relutantes em falar sobre o cemitério e eles tem um bom motivo para tal comportamento. Gradativamente o casal toma conhecimento da verdade e ficam chocados ao saberem do perigo que seus filhos correm. Quando o gato da família morre atropelado, eles o enterram em um cemitério índio que tem o poder de ressuscitar o que for deixado naquele terreno, mas as consequências são inimagináveis”.
Mais um ótimo filme baseado em livros de Stephen King.
Marcelo Lopes
Sobre Marcelo Lopes 263 Artigos
Historiador, produtor cultural, escritor, artista gráfico e técnico-analista em projetos culturais.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*