V Semana Glauber em Vitória da Conquista

Por Marcelo Lopes

A Semana Glauber, inaugurada pela Uesb em 1996, foi a primeira ação sistemática de resgate da memória do cineasta conquistense, até àquela época e por razões diversas, um ilustre desconhecido em sua terra natal. Em edições posteriores, entremeada por intervalos irregulares na sua realização, o projeto trouxe momentos de debates sobre o papel do cineasta, sua obra e todas as questões que discutiu num cenário que ainda hoje cabe refletir.

Este ano, de 11 a 14 de Março, temas pertinentes ao pensamento que Glauber ajudou a agigantar na memória e no pensamento sociocultural brasileiro volta à pauta na programação da V Semana Glauber.
Vale conferir.
V Semana Glauber
“Glauber Rocha e o Cinema Latinoamericano” 
Seminário / Filmes / Palestras
UESB Vitória da Conquista BA 
11 a 14 de março de 2013
11 (segunda) a 14 (quinta) 
Sala de Cinema do Janela Indiscreta – 14 às 18h
SEMINÁRIO
Título: “Como Nasce o Documentário”
Ementa: O duplo aprendizado a partir de fazer documentários sobre cultura popular no sertão do Nordeste: ao tempo em que se exercitava, por exemplo, no manejo da linguagem cinematográfica para documentar uma cantoria, como absorver dos cantadores documentados, de sua arte de improvisar versos em desafio, isto é, no imprevisto do assunto (tema) e da forma (rima, métrica) que o contendor lhe propõe, uma “maneira” de fazer, um princípio, uma estética que pudesse servir de base a outros fazeres artísticos? Como cinema, por exemplo.
Ministrante: Geraldo Sarno – Cineasta

12 (terça) / Teatro Glauber Rocha – 19h
EXIBIÇÃO DE FILME (Sessão Especial do Janela Indiscreta)

Longametragem:
“Coronel Delmiro Gouveia”, de Geraldo Sarno
BR, 1978, Ficção, 90 min., Cor, 35 mm
Sinopse: Em fins do século XIX, Delmiro Gouveia, rico comerciante e exportador do Recife, sofre perseguições políticas. Seu estilo arrojado e aventureiro lança contra ele muitos inimigos, inclusive o governador do Estado. Falido e perseguido pela polícia do Governador, Delmiro refugiasse no sertão e recomeça sua atividade de exportador de couros. Monta uma fábrica de linhas de costura, aproveitando a energia elétrica da usina que constrói na Cachoeira de Paulo Afonso e o algodão herbáceo nativo na região. Os ingleses da Machine Cottons, ex-senhores absolutos do mercado, enviam emissários para negociar a situação criada. Delmiro negasse a vender ou associar-se. É assassinado em 10 de outubro de 1917. Em 1929, a fábrica é adquirida pelos ingleses, destruída e lançada nas águas da Cachoeira de Paulo Afonso.
Comentário: Geraldo Sarno Cineasta
Apresentação: Tadeu Botelho – Professor do Curso de História DH/ UESB
13 (quarta) / Teatro Glauber Rocha – 19h
EXIBIÇÃO DE FILMES (Curtasmetragens)
Curtametragem
01: “Memória de Deus e do Diabo em Monte Santo e Cocorobó”, de Agnaldo Siri Azevedo
BA, 1984, Documentário, 11 min., Cor, 35 mm
Sinopse: Evocação dos caminhos percorridos por Glauber Rocha em Monte Santo e Cocorobó, Serra de Canudos, Bahia, quando filmava Deus e o Diabo na Terra do Sol. Paralelismo entre vigor e o rigor místico dos propósitos de Antônio Conselheiro e do cineasta, dirigidos pela ânsia de despertar a consciência dos homens e promover a liberdade.
Curtametragem
02: “De Glauber para Jirges”, de André Ristum
SP, 2005, Experimental, 18 min., Cor, 35 mm
Sinopse: Por meio de trechos de cartas enviadas por Glauber Rocha ao seu amigo e colaborador Jirges Ristum, na metade dos efervescentes anos 70, descobrimos um pouco da relação de Glauber com a Itália e com o cinema, bem como sua perspectiva sobre as condições sócio-político-culturais brasileiras naquela época. O filme também traz um pouco da intimidade de Glauber, contida nas cartas ao amigo, que é reconstruída mediante escritos, filmes Super 8 antigos e poesias. Uma homenagem do diretor a seu pai, Jinges, e a Glauber Rocha, ambos falecidos nos primeiros anos da década de oitenta.
Comentário: Mônica Medina – Professora do Curso de Cinema DFCH/ UESB
14 (quinta) / Teatro Glauber Rocha- 19h
ENCONTRO MARCADO
Título: Glauber Rocha e o Cinema Latinoamericano
Ementa: Em 1994, Geraldo Sarno escreveu um ensaio intitulado “Glauber Rocha e o Cinema Latinoamericano”.
No capítulo 9, analisa três textos escritos por Glauber: Estética da Fome, A Revolução é uma Estética e Estética do Sonho. No encontro, os palestrantes discutirão a importância da obra de Glauber Rocha para a construção de elementos norteadores da produção cinematográfica brasileira e da América Latina.
Palestrante: Geraldo Sarno – Cineasta
Mediador: Glauber Lacerda – Professora do Curso de Cinema DFCH/ UESB
Marcelo Lopes
Sobre Marcelo Lopes 263 Artigos
Historiador, produtor cultural, escritor, artista gráfico e técnico-analista em projetos culturais.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*