Dani Lasalvia: voz de poesia

Algumas pessoas dizem que a poesia, por si só, canta e encanta. Outras, que elas escolhe quem cante por ela. Mas, em muitos casos, parece haver uma imprecisão sobre o assunto, algo que foge à percepção, diluída na sensação de que a beleza do canto – ou da poesia – se basta por existir no tempo em que nos chega aos corações… e que dura um tempo muito maior que o da sua simples execução. Poetas e declamadores, poesia e música, se alinham assim para fazer estragos (os melhores possíveis) nos nossos sentimentos. Imaginem se esse potencial destruidor tem um tom doce, uma voz afinada, aguda, uma precisão de saber como e o que canta e ainda elevar o dom da voz a um patamar de partilha, lembrando nossos poetas mais caros. Essa é Dani Lasalvia.

Dani Sr Brasil 1A cantora, compositora e instrumentista paulistana Dani Lasalvia ingressou cedo na música. Estudou piano dos 7 aos 15 anos. Na adolescência, fez três anos de canto lírico. Traçou sua trajetória de formação junto a músicos importantes como Stênio Mendes e Paulinho Paraná, sempre com um pé no Brasil e outro no exterior. Mundo afora, cimentou seus conhecimentos técnico-musicais; na nossa terra brasilis, buscou e que de mais forte existe nos sons regionais. Apresentada pelo compositor e multi-instrumentista mineiro Dércio Marques, traçou seu perfil de cantora gravando músicas como “Trenzinho do Caipira”, de Heitor Villa-Lobos e Ferreira Gullar, “Meninos” (Juraildes da Cruz), “Valsinha” (Chico Buarque e Vinicius de Moraes) e”Feixe” (Chico César). O crítico de música Mauro Dias, responsável pela apresentação do seu CD Madregaia, faz considerações sobre as escolhas e o olhar da cantora: “Foi o êxtase, a vontade do êxtase, que levou Dani pelos quadrantes da Terra de Vera Cruz. Por mais de dez anos, ela andou por aí, à própria custa, ouvindo aprendendo, conversando com as lavadeiras das Alagoas, com os violeiros do Mato Grosso, com os catireiros do interior paulista, com os jongueiros daqui e dali, os quilombolas, os índios das tribos tais e quais, aprendendo idiomas, incorporando gestos e gostos, entendendo as lendas, reconstruindo-se, ampliando-se, maravilhando-se”. O repertório do CD foi determinado pela estética da letra, melodia e estilo de cada canção.

Dona de um universo artístico muito próprio, Dani Lasalvia é dica da vez da Série Vitamina MP3. Confira:

Marcelo Lopes
Sobre Marcelo Lopes 263 Artigos
Historiador, produtor cultural, escritor, artista gráfico e técnico-analista em projetos culturais.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*